Maestro Titular

Francisco Ferreira tem um percurso artístico que o tem vindo a destacar com uma carreira multidisciplinar.
É diplomado em Saxofone pelos Conservatórios de Música do Porto, de Limoges – França e Escola Superior de Música de Lisboa com as mais altas classificações.
Teve o mérito de desenvolver em Portugal uma importante classe de saxofone, na área do clássico, com imensos alunos premiados em concursos nacionais e internacionais.
Tem vindo a dedicar-se igualmente ao desenvolvimento das orquestras de sopro, o que o levou a trabalhar direcção de orquestra com Jan Cober, Marc Tadue, Eugene Corporon, Douglas Bostock e José Pascual Vilaplana, concluindo em 2007 o Mestrado em Direcção de Orquestra no Royal Conservatory Dutch de Maastricht.
Foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, do Instituto Camões e premiado pela Fundação Eng.º. António de Almeida e vencedor do Concurso «Ouvir e Falar» da responsabilidade do Maestro António Vitorino d’Almeida, apresentado pela RTP.
Apresenta-se regularmente em concertos na Europa, Ásia e Brasil. Tocou a solo com a Orquestra Sinfónica do Porto, Orquestra Clássica do Porto e da Madeira, Bandas Sinfónica Portuguesa, Banda da Polícia de Segurança Pública de Lisboa, Curitiba (Brasil), e Municipal da Corunha (Espanha) e ainda com a Orquestra Portuguesa de Saxofones. É frequentemente convidado para integrar júris de concursos nacionais e internacionais de saxofone e de bandas.
Como maestro, dirigiu imensas formações de sopro e percussão nomeadamente as Bandas Sinfónicas da Guarda Nacional Republicana (Lisboa), da Covilhã, do Conservatório de Música do Porto, Orquestras de Sopros do Inatel, do Algarve, Filarmonia de Vermoim, (Maia) Orquestra da União Europeia, Banda Sinfónica Portuguesa, Rundfunk-Blasorchester Leipzig (Alemanha), Banda Sinfónica de Tatuí (São Paulo, Brasil) , Gran Canaria Wind Orchestra, Banda Municipal de Vitória – Gasteiz e Pontevedra (Espanha), entre outras.
Nesta área, foi vencedor do 1º prémio do II Concurso Internacional de La Sénia (Espanha) e World Music Contest em Kerkrade (Holanda) na categoria superior, este com a mais alta classificação de todas as edições, na qualidade de maestro titular e director artístico da Banda Sinfónica Portuguesa, cargos que ocupa desde a sua fundação. Colabora em idênticas funções na Sociedade Musical Fafense.
É professor do quadro do Conservatório de Música do Porto, estando presentemente apenas a assumir funções como Director Pedagógico na Academia de Música de Costa Cabral – Porto. Desde 2004 que é o maestro titular e diretor artístico da Banda Sinfónica Portuguesa.