Maestros Convidados

Fernando Marinho

 

Manuel Fernando Teixeira Marinho da Costa nasceu em Amarante, em 1979.

Iniciou os seus estudos musicais aos seis anos na Banda Musical de Amarante.

Frequentou a Academia de Música de Paredes e o Conservatório Regional de Gaia, onde concluiu o curso básico de flauta, na classe do professor Jorge Salgado C. Correia e ingressou, de seguida, no Conservatório de Música do Porto onde se diplomou, em 2001, com o curso complementar de flauta com a classificação de 19 valores, na classe do professor Olavo Tengner Barros.

Paralelamente, concluía a Licenciatura para Professores do Ensino Básico, na variante de Educação Musical na Escola Superior de Educação do I. P. Porto.

Ingressou, de seguida, na Escola Superior de Música de Lisboa onde viria a diplomar-se, com elevada classificação, com a Licenciatura em Música – flauta, tendo estudado com os professores Olavo Tengner Barros (flauta), Pedro Couto Soares (traverso), Nuno Inácio e Olga Prats (música de câmara).

Frequentou ainda a Academia Nacional Superior de Orquestra onde concluiu a Licenciatura em Instrumentista de Orquestra – flauta e frequenta o Mestrado, na classe do professor Nuno Inácio.

Conclui a Profissionalização em Serviço na Universidade Aberta.

Colabora regularmente com algumas das principais orquestras profissionais portuguesas: Orquestra Gulbenkian, Orquestra Metropolitana de Lisboa, Orquestra do Norte, Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras, Orquestra do Algarve e Remix Ensemble.

Apresentou-se a solo com a Banda Sinfónica da Polícia de Segurança Pública, Orquestra de Sopros da Escola Superior de Música de Lisboa e Banda Sinfónica Portuguesa, sob a direcção dos maestros Comissário Ferreira Brito, Alberto Roque e Francisco Ferreira.

Estas experiências como músico de orquestra permitiram-lhe trabalhar com um grande número de maestros: António Saiote, Beat Fourré, Brian Schembri, Claude Kaesmaecker, Cristhopher Bochmann, Daniel Nazareth, Edwin Roxburgh, Eiji Oue, Esa-Pekka Salonen, Guillaume Bourgogne, Jan Cober, Jean-Marc Burfin , entre outros e actuar nas principais salas portuguesas e ainda em Espanha, Áustria, Luxemburgo, Holanda, Alemanha e França.

Frequentou cursos de flauta com Vincens Prats, Istvan Matuz, Patrick Gallois, Jorge Caryevschi, Jean Ferrandis, Marc Hantai (traverso), entre outros, e participou na Conferência Internacional da Flauta da British Flute Society – Inglaterra; cursos de pedagogia musical com Jos Wuytack e Pierre van Hauwe e direcção com Robert Houlihan, Baldur Bronniman, Mitchel J. Fennel, António Saiote, Marcel van Bree, Eugene Migliaro Corporon, José Rafael Pascual-Vilaplana, Douglas Bostock, Jean-Sébastien Béreau e Ernst Schelle, bem como o curso de formação de regentes de bandas civis, promovido pelo INATEL.

Foi vencedor do 1º Prémio Jovens Instrumentistas do Marão, organizado pela Adesco e do 3º Prémio Jovens Músicos da RDP em Música de Câmara – Nível Superior.

Participa regularmente na estreia e divulgação de obras de compositores portugueses, algumas a si dedicadas.
É autor de composições e transcrições para banda, editadas pela Lusitanus Edições.

Em 2000, foi bolseiro do Programa Erasmus ao abrigo do qual estudou pedagogia musical na Paedagogische Akademie der Dioseze Linz, na Áustria. Paralelemente, frequentou aulas como aluno externo no BrucknerKonservatorium Linz, onde estudou com o professor Helmut Trawoger.

Pertence aos quadros da Banda Sinfónica da Polícia de Segurança Pública, onde desempenha as funções de solista em flauta.
Foi professor de flauta na Academia de Música de Santa Cecília, Conservatório de Música D. Dinis, Escola Profissional de Música de Espinho e na Escola de Música Leal da Câmara (Conservatório de Música de Sintra) e Escola Superior de Educação Jean Piaget/Arcozelo.

Leccionou as classes de flauta e direcção de orquestra de sopros em cursos de aperfeiçoamento em Montemor-o-Velho, Minde, Odivelas e Amarante.

Desde Outubro de 2005 que é o responsável artístico pelo Grupo Recreativo e Musical – Banda de Famalicão. Dirigiu ainda a Sociedade Filarmónica Lealdade Pinheirense e a Banda dos B. V. Progresso Barcarenense.

Dirigiu a Banda Sinfónica Portuguesa, Orquestra de Câmara de Sintra, Orquestra Filarmonia das Beiras, Orquestra de Sopros do Conservatório de Música D. Dinis, Fanfare Orquestra da Escola Profissional de Música de Espinho, Symphonisches Blasorchester Muzikkorps der Bundeswehr (Alemanha) e venceu o concurso para o lugar de maestro da Banda de Música Cultural de Salceda de Caselas (Espanha).

Estudou na Holanda, onde concluiu o Mestrado em Direcção de Orquestra de Sopros na Zuid-Nederlandse Hogeschool voor Muziek – Conservatorium Maastricht, na classe do maestro Jan Cober.

É, desde 2010, maestro das Orquestras do Conservatório de Música do Porto.